quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Este livro. No sofá, ao pé da lareira!



Já mencionei aqui que adoro cartas?! 

Esperar que cheguem, correr para o correio, segurá-las entre as mãos, ter aquele impasse do "abro ou não abro", abri-las com o coração cheio de esperança, ler, chorar ou rir, apertá-las junto ao peito, guardá-las na caixa dos segredos!

Nada, mas nada mesmo, algum dia se equipará à felicidade de receber e escrever cartas...

2 comentários:

Sea disse...

A distancia por vezes aproxima-nos de quem mais gostamos :)

Hysteria* disse...

A minha cabeça acredita na veracidade de tais palavras... Estou a deixar que o coração volte a acreditar também! ;) Um beijinho*