sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

DE JULHO DE 2011




Sétimo mês do ano. Foi o mês de:
  • perceber a importância do diálogo;
  • ter de entregar o Seminário no fim do mês e constatar que ainda ia a meio, no início do mesmo;
  • continuar a não acreditar no que intitulam como "Impossível";
  • entregar o Seminário, não sem antes fazer o resumo na viagem para o Porto, e perder horas a imprimir os 5 exemplares;
  • chorar durante dias e dias seguidos;
  • estar demasiado tempo enfiada dentro de casa;
  • me sentir saturada, sufocada, perdida, frustrada, desgastada, cansada;
  • procurar inspiração num episódio de How i met your mother;
  • me motivarem através de SMS's; 
  • reforçar a ideia de que não me oriento por baixas ou médias expectativas, só por altas, mesmo que isso me traga o risco de uma queda desamparada;
  • perceber que o passado é uma realidade que só determina o presente quando lhe dermos permissão para tal;
  • o meu pai dramatizar por eu andar com o carro dele;
  • me aperceber que ele me ouvia, mesmo quando estava concentrado noutros afazeres;
  • constatar que começava a ter dificuldades em poder exprimir o que sentia e vivia, canalizando isso para o blogue;
  • ir ver Coldplay e Blondie ao Optimus Alive e ficar a dormir num corredor de uma casa;
  • ficar triste por não ter visto os 30 Seconds to Mars;
  • organizar uma despedida de solteiro, em modo quintal;
  • participar no casamento de um casal amigo que me levou às lágrimas, tal era a veracidade com que o consumavam;
  • aprender que é preciso coragem para amar, percebendo que amar é muito mais do que eu fazia;
  • odiar, cada vez mais, atitudes de intolerância para com pessoas deficientes e ficar em estado de choque com as mesmas;
  • viver 3 dos melhores dias do meu ano no Meco, longe de tudo e de todos, longe das complicações, amando e ouvindo música;
  • ir aos anos dele e me familiarizar com as suas pessoas especiais;
  • ele me segredar ao ouvido que já tinha pensado na forma de fazer o pedido;
  • ganhar, através de um passatempo do facebook, o livro "Incertezas do Coração";
  • me inundar com boas músicas, com boas frases e com boas imagens;
  • o meu descanso não ser bem entendido;
  • me deslumbrar com mais uma das brilhantes frases inspiradas dele;
  • o Último a Sair superar-se com a entrada do Nuno Lopes;
  • ir a outro casamento, este não tão transmissor de felicidade... mas foi o nosso primeiro casamento juntos, com aquela foto que transmitia, verdadeiramente, a nossa felicidade;
  • começar a admitir para mim que talvez estivesse num estado depressivo e paranóico, fruto de todo o desgaste dos últimos tempos!
A frase do mês: Não devemos ter medo dos confrontos... Até os planetas chocam e do caos nascem as estrelas! 

A música do mês:


O vídeo do mês:


2 comentários:

Ana disse...

passei para deixar um beijinho e agradecer pelas tuas palavras :) respondi-te lá no meu cantinho*

Hysteria* disse...

Eu já li minha querida :) Um beijinho para ti também e bom ano... :) *