segunda-feira, 30 de julho de 2012

Não gosto de amores assim, que não se completam!


Eu - Então Senhor Manuel, posso colocar o seu medicamento no nome da sua esposa?
Senhor Manuel - Pode sim, menina. Nós lá em casa só não dormimos no mesmo quarto. De resto partilhamos tudo.

Eu sorri, meio que a disfarçar o embaraço que a esposa sentiu e lembrei-me da quantidade de Levitra que o senhor compra (e que, com toda a certeza, não é para usar com ela). Engoli em seco e pensei que, para ser assim, mais vale estar sozinha.

FACTO #59


O amor é entrega, sabes?! Mas tu não és forte o suficiente para te entregares a algo que te dome... como só o amor é capaz!

Apetece consolar todo o desânimo que para ali vai, não apetece?!



domingo, 29 de julho de 2012

Gosto de amores assim, que falam!


Da cama cheia de nós. Do lençol entrelaçado em dois seres entrelaçados por si. Do cheiro que é nosso quando fechamos os olhos ao final do dia. Do descanso completo dos teus braços. De te amar assim. A ti, a nós.
Da certeza de sermos melhores. Da nesga de luz que nos espreita no início de mais um dia. De abrir os olhos e saber-te de cor com eles fechados.
Gosto de nos gostar. E todos os dias são dias maravilhosos para se gostar de ti.

O meu muito obrigado à Rosa Cueca por me colocar a suspirar!

FACTO #58


Quanto mais sei de certas situações, mais burra (aka Parva aka Estarrecida) fico!

sábado, 28 de julho de 2012

Habemus Joãozinho!*


Assim é que eu gosto. Rápido e eficaz!

Viver no mundo dos adultos é...


...estar tão cansada e com milhentas responsabilidades na cabeça, ao ponto de quase adormecer na estrada; é não aceitar convites de grandes festas porque se tem de trabalhar um sábado inteirinho; é acordar às 6.40 da manhã com a patroa a dizer "Rebentaram-me as águas! Agora está tudo por tua conta!"; é, afinal de contas, estar de serviço o fim de semana todo; é ter um punhado de receitas para corrigir; é ter o fim do mês aí à porta com a respectiva facturação e não perceber "um boi" do assunto; é sentir-se insegura e, ao mesmo tempo, com a maior força do mundo para solucionar tudo o que é problema. Que venha de lá o Joãozinho (que só devia nascer no fim de Agosto!!) para nos alegrar os dias, com saúde e sem defeito de maior, que o resto "a gente" resolve! Adoro estas partidas da vida...

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Hoje sei exactamente...


- o que não quero mais sentir;
- a forma como não quero ser tratada;
- situações com que não pretendo lidar, frequentemente, no futuro;
- o que não me faz feliz;
- o que em nada me acrescenta.

Posso estar ainda muito perdida no rumo que traço diariamente, fazendo novas escolhas e abdicando de rotinas e pressões passadas, posso não fazer a mínima ideia do que quero concretamente daqui para a frente... mas graças a ti sei exactamente o que não quero! E isso já é meio caminho andado para me afastar, física e emocionalmente, da turbulência que certas existências provocam. Obrigado... a sério, muito obrigado!*

quinta-feira, 26 de julho de 2012

DOS AVÓS MAGNÍFICOS QUE ME CALHARAM NA RIFA |



Conheci 3 mas só 2 continuam vivos. São fonte inesgotável de sabedoria e experiência. Se há pessoas que me tornaram naquilo que sou hoje, foram eles. Com toda a paciência, com todo o empenho, com a confiança e orgulho que sempre necessitei. Perder o meu avô materno foi das experiências mais traumatizantes que já vivi até hoje mas sinto que, mesmo longe da minha vista e do meu toque, estará presente na minha vida. Faço questão de ter em mim o que de melhor ele carregava em ombros. E hoje, sendo o dia de homenagem a estes grandes exemplos, não deixo de o relembrar. Só morre quem deixa de habitar o nosso pensamento e o nosso ser. Não é o caso. Nem este, nem nenhum dos outros. Que sejam muitos os anos que irão passar a meu lado, a relembrar-me de todas as asneiradas que tinha o gozo de fazer. Obrigado!*

segunda-feira, 23 de julho de 2012



Pelos vistos sim...
Somos uns bananas!

As Marés querem-se Vivas!


4 dias duramente grandiosos!

O bilhete já existia há meses e a paixão por música desde que me conheço. Esta é de tal ordem gigante que me levou a organizar a vida a tal ponto que conciliei, o melhor que consegui, o trabalho, as obrigações familiares e outras responsabilidades, com a possibilidade de viver momentos únicos. Entre trabalho, viagens de ida e de volta no mesmo dia e poucas horas de sono, foram vividas horas inesquecíveis em Gaia.
Quando sentimos que estamos no sítio certo, é como se estivéssemos em casa. Entre restauração e brindes, entre pó e muito Ice Tea, entre ganhos  inesperados e jogos de Wii, entre saltos e danças, entre simpatia e muitos sorrisos, entre boa música e coração cheio viveu-se intensamente a edição nº10 deste, até então, desconhecido festival.
O cansaço surgiu, como seria de prever, mas olha-se para o conjunto de fotos abaixo mencionadas e brotam sorrisos que não são mais que a satisfação pura por se ter ousado assumir o risco!
Poucas coisas me provocam realizações tão honestas e, desculpem-me as outras, mas é por estes momentos de felicidade sóbria que continuarei a lutar, a privar-me de descanso, a mover mundos para que assim, de uma forma tão simples, existam!

Não é para perceber. 
É para sentir... é para viver!











terça-feira, 17 de julho de 2012

Apaixonei-me! ♥





Ide, meus filhos... Ide ver a beleza que é feita por este Portugal fora! Só tenho pena de quando tiver motivos para o usar, provavelmente já não o fabriquem. 
Que máximo de ideia...

Guilty Music Pleasure #3





Pierre Bouvier!*

Pierre, depois de anos e anos de música depressiva e "negra" a acompanhar-me uma juventude de unhas escuras, roupas largas e bonés da NBA, eis que chegas em todo o teu esplendor, relembrando o poder das lembranças magníficas de um Verão que teve momentos a roçar o paraíso. Gosto bem mais de ti agora... gosto bem mais de mim também!*





São tantas as coisas que te queria falar e contar. E eu sigo, fantasiando que entendes tudo melhor que toda a gente. E isso acaba comigo mas, ao mesmo tempo, tira-me um pouco da chatice burra e apática de sempre. É então que decido, verdadeiramente, contar-te as coisas. E por isso escrevo. Porque se entras aqui para ler és tu que, com todo o meu amor que nem imaginas existir, consegues sentir como sendo teu. Não me esqueças, por favor. Porque eu nunca te vou esquecer.

terça-feira, 10 de julho de 2012

I'M FEELING THIS #26


Temos medo - de no meio disto tudo que temos vivido e visto -, nos apareça um bom homem e já não consigamos ver, reconhecer. E isso é triste, é muito triste...

segunda-feira, 9 de julho de 2012

O coração em queda livre!*




Um dia perco o medo do palco! Ontem foi o dia.



O dia 8 de Julho ficará para sempre na memória como o dia em que arrisquei vencer um dos meus maiores medos. Não há nada melhor do que voltarmos a sentir a confiança e a segurança de outrora. Não me tornei superior... apenas melhor do que aquilo que era! São estas pequenas conquistas que nos vão alargando os horizontes, que nos vão amadurecendo e fazendo acreditar que, nesta vida, ainda há muita estrada para andar... Não tenhamos medo de percorrer os seus caminhos! Só chegam até nós os desafios que somos passíveis de, vitoriosamente, enfrentar.*

sábado, 7 de julho de 2012



There's a reason I said I'd be happy alone. It wasn't 'cause I thought I'd be happy alone. It was because I thought if I loved someone and then it fell apart I might not make it. It's easier to be alone, because what if you learn that you need love and then you don't have it? What if you like it and lean on it? What if you shape your life around it... And then...It falls apart? Can you even survive that kind of pain? Losing love is like organ damage. It's like dying. The only difference is...death ends. This? It could go on forever.

Grey's Anatomy
|Season 7, Episode 22|

quarta-feira, 4 de julho de 2012

FACTO #57




Os meus ouvidos agradecem... TANTO!*



Esta música é estupendamente viciante! 
Meu Deus...

terça-feira, 3 de julho de 2012



Não sei se estou perto ou longe demais, se estou no rumo certo ou errado. Sei apenas que sigo em frente, vivendo dias iguais de forma diferente. Já não caminho mais sozinha, levo comigo cada recordação, cada vivência, cada lição. E mesmo que tudo não ande da forma que eu gostaria, saber que já não sou a mesma de ontem faz-me perceber que tudo valeu a pena…

segunda-feira, 2 de julho de 2012