quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Verdade, verdadinha!*




O dia 29...



Neste mesmo dia, no mês passado, predominavam os sorrisos, a diversão, o orgulho e a vontade de ser mais e melhor. Hoje predomina o silêncio e o vazio. Mas se este dia, que agora começa, não me trouxer mais nada de bom, ficará para sempre na memória a moldura com a foto de nós dois (aquela primeira, a preto & branco!) que o meu pai pegou "em mãos", olhou por momentos, sorriu com orgulho e voltou a pousar. Foi um gesto único e eterno que me deixou... assim, feliz!*

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Alguém se atreve a perceber o meu "requintado" e confuso gosto musical?!


 
As próximas viagens, com este CD no auto-rádio, vão ser muito estranhas!




Sou uma pessoa estranha, eu sei que sim! As problemáticas que fazem muita gente temer arriscar, são para mim razões para sentir motivação. 
Um dia falaram-me do medo que sentem quando têm pouca coisa em comum com alguém. Eu simplesmente disse que não conseguia perceber a razão para tal. É certo que as coisas que temos em comum com alguém nos dão uma segurança e um conforto diferentes, fazem com que tenhamos um contacto mais alargado e sistemático e que nos identifiquemos com certas escolhas e acções. 
Mas... e o resto?! Quando nos cansarmos de nós mesmos, quando necessitarmos de recorrer ao outro para ter uma lufada de ar fresco, quando for imprescindível viver coisas diferentes?
Do meu ponto de vista, quando alguém é bastante diferente de mim, sinto que tenho um mundo inteiro para descobrir! Entusiasma-me o facto de poder conhecer as diferenças, as visões, os hobbies, as ambições, os desejos. Abro-me completamente à aprendizagem que me podem ensinar, aos novos horizontes que me podem mostrar. E aí fico, ansiando cruzar o meu pequeno mundo com aquele pequeno mundo, para que assim possamos criar os nossos pontos em comum, aqueles que só existem porque as nossas personalidades e as nossas vidas se juntaram. E isto só está acessível à unicidade que nos caracteriza. 
Tenho medo sim que percamos tempo a encontrar os pontos que nos afastam, valorizando-os demais, enquanto podíamos usar esse tempo para criar pontos de união, aqueles que interligam, por exemplo, a arte desportiva com a vontade de a integrar, a espiritualidade com o talento de criar música, a vontade de comunicar com a ânsia de mudar.
Valorizo mais o potencial de algo do que o fim em si mesmo, é um facto... daqueles que dificilmente mudarão!

terça-feira, 27 de setembro de 2011





Acho que é mais fácil ver o que queremos ver do que procurar pela verdade. 
Há muita gente que pensa que me conhece mas não conhece... e isso significa que não sabem verdadeiramente do que sou capaz. 
Vêem-me como alguém popular que tem todas as respostas. Isso não é verdade! Posso nem sempre saber o que faço mas tentarei sempre tornar as coisas melhores. 
E quando errar, porque sei que erro bastante, prometo que pedirei ajuda. 
Não posso fazer isto sozinha... mas se me deres uma chance, podemos fazer grandes coisas juntos. Eu prometo que, se acreditares em mim, acharei a coragem necessária para alcançar todos os teus sonhos.

John F. Kennedy disse, um dia, que a coragem da vida é uma magnífica mistura de triunfo e tragédia. Um homem faz o que precisa e o que tem que fazer, sem pensar nas consequências, sem pensar nos obstáculos, nos estragos e na pressão... e essa é a base de toda a moralidade: o que se quer, o que se precisa, o que nos pode tornar + felizes!


in One Tree Hill

domingo, 25 de setembro de 2011





Existem momentos na nossa vida em que nos vemos numa encruzilhada. Com medo, confusos, sem um mapa. As escolhas que fazemos nesses momentos podem definir o resto da nossa vida. 
Claro que quando se está de frente com o desconhecido, a maioria de nós prefere dar meia-volta e retornar. Mas, às vezes, as pessoas pressionam por algo melhor. Algo que vá para além da dor de continuar sozinho. Algo para além da bravura e da coragem, que é necessária, para deixar que os outros se aproximem e entrem em nós... ou para simplesmente dar uma segunda chance! Algo além da quieta persistência de um sonho.
Porque só descobrimos quem realmente somos, quando somos testados. E é só quando somos testados que descobrimos quem podemos ser. 
Essa pessoa que queremos ser, existe... algures do lado oposto, onde abunda o trabalho pesado, a fé, a crença e uma dor de coração, que teme o que está pela frente... basta acreditar!

in One Tree Hill

sexta-feira, 23 de setembro de 2011


Hoje falo para aquele que me preenche o coração. 
De nada vale as palavras se não corresponderem aos nossos actos, eu sei! De nada vale proclamar um sentimento quando se tem medo de o viver e sentir a queimar dentro de nós. E eu sou culpada disso! Leva-me a julgamento que não usarei qualquer defesa a meu favor. Deixa-me apenas segredar-te isto ao ouvido, naquele impasse em que percorro o corredor que nos separa: de todas as vezes que os meus olhos brotaram medo, de todas as vezes que o meu corpo afastava o teu, de todas as vezes que da minha boca saíam aquelas palavras que abriram feridas profundas no nosso amor, em todas as vezes que os meus comportamentos eram piores que as minhas intenções, em todas elas sentiste o AFASTA-TE quando só queria dizer SALVA-ME!
Desculpa-me os problemas de expressão. Desculpa o quanto magoei o teu coração.


quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Habemus séries!







Oh para elas tão lindinhas a chegar!

Era uma vez uma pessoa que acordou às 7h da manhã para terminar um PPT...

...quando, ainda nem conseguindo muito bem abrir os olhos, isto é, derivou pelo facebook só porque já é hábito, lhe surgiu algo "curto e grosso" que lhe faz descolar os olhos:

Queres? Então faz acontecer, porque a única coisa que cai do céu é a chuva!


E essa pessoa, lá foi, feliz e contente na sua humildade redescoberta, iniciar o seu dia com outro ânimo! Mais não acontecendo, já valeu a pena este momento! E espera por ser "feliz para sempre". The End.

Um bom dia a todos...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Digo-vos minha gente...



... este Ashton Kutcher é ouro na 9ª Temporada de Two and a half men

Podia era ter menos cabelo e menos barba que não fazia mal nenhum!

Sou eu que estou mal das "vistinhas"...



... ou o Lucas Scott agora virou brasileiro?!

PS: Alguém consegue traduzir em bom português a quantidade de calor e vontades ilícitas que pairam neste vídeo?! É muita informação para a minha retina!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Há coisas que não mudam!



E uma delas é o meu gosto pelo início do ano lectivo. Este ano, iniciando um curso de formação, vi-me nessas andanças e relembrei a alegria que me dava preparar tudo com antecedência. Isto é, quando eu era organizada... Perdi-me no meio de agendas e capas, separadores e marcadores. Perdi-me no meio de mochilas para notebook's e para a pré-primária. Perdi-me no meio dos post-it's e dos quadros magnéticos e de cortiça. Vi que muitas das minhas grandes recordações passam por este iniciar, por este recomeçar. E acho mesmo que é assim que me caracterizo: como uma pessoa capaz de recomeçar, vezes e vezes sem conta, acreditando sempre um pouco mais, determinando-se enquanto aprende, crescendo enquanto luta. E, tendo ganho nos últimos anos uma certa aversão ao mês de Setembro, hoje olho para ele como uma benção. Ainda faltam 3 meses para a treta toda da passagem do ano e dos desejos e das projecções para o ano que se avizinha, mas é Setembro que, de uma forma humilde e solidária, nos estimula à mudança, ao crescimento, à calmaria, à ponderação, ao recomeço. 

"Só me deixe quando o lado bom for menor do que o ruim..."






segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Misturando verdade com simplicidade...



Olhando agora para aquilo que disse há todos estes anos atrás, olhando para todas as esperanças e sonhos que tinha, chego à conclusão que, se ter as coisas realizadas da forma como queremos for a medida para uma vida de sucesso, então alguns dirão que eu sou um fracasso! 
A coisa mais importante é não te deixares amargar pelas decepções da vida. Aprende a deixar o passado para trás!
Eu reconheço que nem todos os dias serão ensolarados. Mas quando te encontrares perdido na escuridão e no desespero, lembra-te: é somente na escuridão da noite que podemos ver as estrelas. E são elas que nos podem guiar de volta para casa!
Não tenhas medo de cometer erros, ou de tropeçar e cair... pois, na maioria das vezes, os melhores prémios vêm quando se faz aquilo que mais se teme.
Talvez consigas tudo o que desejas. Talvez consigas mais do que alguma vez tenhas imaginado. Quem sabe onde a vida te levará?! A estrada é longa e, no fim, a jornada é o destino!

One Tree Hill 
|Season 3, Episode 15|

sexta-feira, 16 de setembro de 2011



Quando vi este novo header da Pólo Norte, e ignorando todo o real sentido desta frase, só me ocorreu dizer: 
Ah pois não sou um blogue, não, meus amigos! 



quinta-feira, 15 de setembro de 2011





Neste momento há 6 biliões, 470 milhões, 818 mil e 671 pessoas no mundo. Algumas pessoas fogem com medo, outras estão encontrando o caminho de volta para casa e outras, ainda, mentem para conseguirem superar o dia. E depois há aquelas que só agora estão encarando a verdade. Algumas destas pessoas são homens maus em guerra contra o bem e outras são homens bons lutando contra o mal. 
Seis biliões de pessoas no mundo, seis biliões de almas.... e algumas vezes só precisamos verdadeiramente de uma!


in One Tree Hill 
|Season 3, Episode 1|

Miss you*

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

sábado, 10 de setembro de 2011

I'M FEELING THIS #11



Demasiadas vezes pensamos que a pessoa ideal, tem de ser aquela com a qual nos imaginamos a passar todos os nossos dias a sorrir. Isso é uma treta. Não há nenhuma pessoa com a qual alguém se consiga realisticamente imaginar todos os dias da vida a sorrir. As pessoas têm rasgos de personalidade que são extremamente irritantes e com os quais é difícil de lidar. Isso é inevitável. Haverá momentos em que a alma se cansa só com a simples presença, e não importa o quanto ames. 

Mas é depois, ao imaginares que de um momento para o outro, nunca mais vais ver essa pessoa, como o som das palavras, os gestos, as acções, como isso pode ser apagado do teu futuro, que o coração se afunda como se tivesse uma corda gigante que o estrangula e o dota de um peso tremendo. 

Isso é amor.

|roubado à Miss Murder|

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Tempo de mudar...




É terrível a sensação de erro quando o que mais se fez foi estar demasiado atento (ou não!) para não errar. Numa atitude destas perde-se toda a naturalidade característica do ser, perde-se ousadia e a diferença característica. Surgem revelações obscuras de personalidade que têm o único propósito de mostrar que ainda há muito para ser melhorado e que aquilo que queremos aniquilar, na verdade, corrói-nos as entranhas e continua a ganhar. Mas já foi dado a esse "aquilo" demasiado tempo de antena, demasiada capacidade de manobra e demasiada importância para o bem que nos faz, que é nenhum! 
É tempo de encarar o futuro como um bem promissor, recheado de novas pessoas e novas oportunidades. É certo que já deveria ter sido feito há cerca de 8/9 meses atrás... mas toda a aprendizagem que tem sido realizada no decorrer desse tempo (tão longo para uns, tão curto para outros) foi essencial e verdadeiramente aplicada, resolvendo particularmente os pequenos "senão's" de uma vida que se cansou de viver atormentada com o medo do incerto, do incógnito e da perda. É tempo de sair do casulo, olhar para o lado do outro que tanta vez foi deixado para trás.
Mesmo no meio da turbulência que magoa, que nos faz vacilar na fé que depositamos em algo que sabemos piamente que nos preenche e faz feliz, é também nessas alturas que reencontramos a paz... a paz da mudança que ocorreu e que não era vista como tal!
Secalhar roço um pouco a loucura, quando me debato com a fácil capacidade que me assiste de transformar o que de menos bom me acontece em algo bom, numa aprendizagem ou numa força motivadora de mudança. Para a maioria dos seres humanos passa-se exactamente o oposto.
Sofro também de uma consciência tardia, e muitas vezes lenta, de valorização do que me é importante. A vida a 1000 que levo para umas coisas, faz-me andar a 100 para as outras que, pelos vistos, são aquelas que depreendem uma maior dedicação e entrega.
Há que começar este novo ano laboral com a forte certeza do que realmente vale o tempo dispensado, gerindo agendas, não de uma forma louca mas privilegiando o essencial, o  útil, o importante. 


Porque ninguém me vai devolver o tempo perdido, nem a oportunidade ultrapassada.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Musicalidade que traduz sentimentos!


‎"(não!) São só os meus erros, 
é toda a minha culpa.
É tudo o que faço
E é todo o meu cansaço"

Mesa, inspiração Néua


sexta-feira, 2 de setembro de 2011



... in some other directions!*