sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O melhor do meu dia! #6



Estou em crer que hoje foi um desses dias bons. Daqueles em retiraríamos uma dúzia de lembranças boas para registar para a posteridade. Mas hoje quero falar-vos do quão reconfortante é a voz do Eddie Vedder e a mensagem do filme Into the Wild. Há muito, muito tempo, ofereceram-me esse filme depois de um jantar preparado a dois. Lembro-me que era Fevereiro e eu tinha acabado de fazer anos. Achava que sabia muito da vida, que tinha todas as respostas e um caminho super definido de futuro. Lembro-me de andar às voltas numa cadeira de secretária enquanto esperava pelo chá. Lembro-me do ambiente ameno daquele quarto. Estava onde queria estar, com uma noite inteira pela frente. Ele já tinha visto o filme mas fazia questão de o rever as vezes que fosse preciso, disse. Aquilo tem que ser muito especial, pensei. Alertou-me para sentir a banda sonora com a alma. E eu já estava a ficar muito chateada com tantas instruções. O que é certo é que foram aqueles pequenos alertas que me foram úteis para aquela noite se tornar em algo especial. Quando chegou o The End ao visor eu tinha a garganta seca, o estômago contraído, os olhos encharcados e era um ser diferente. Aquela lição sobre a felicidade, a valorização dos momentos simples da vida, a viagem, as pessoas, o ser, o sentir, o desafio, fizeram-me querer sair daquilo que, afinal de contas, era uma zona de conforto criada por mim. Naquela noite quis tornar-me num ser melhor, mais humano, mais fiel ao meu plano de vida. Naquela noite houve conversa rica até de manhã. Houve dúvidas, respostas, incertezas e novos traços de futuro. Tudo com o apoio de Eddie Vedder e da sua mágica voz, das suas músicas que tocam a alma. Na semana passada estive com o cd na mão, prestes a trazê-lo para casa e, no meio de um transe existencial, deixei-o repousar naquela gélida prateleira. Como a vida é sábia e tramada, hoje colocou-me, do nada, a ouvir as suas músicas. E que bem que me fizeram. É por isso que, quer queiramos quer não, o que tem que ser tem muita força, já dizia o outro. Espero que, um dia destes, isto possa vir a ser o melhor do vosso dia também!




1 comentário:

António Jesus Batalha disse...

Muitas vezes os dias bons são talhados por nós mesmos, quando não nos deixamos abater pelos acontecimentos, quando tentamos tirar o melhor do nosso viver diário, quando olhamos para os outros de forma positiva, e quando damos o melhor de nós mesmos, acredito que quando agimos assim sempre temos algum de bom no final do dia. Desejo tudo de bom para si e para sua familia.
Abraço.
António.