sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O melhor do meu dia! #4



Hoje apeteceu-me trepar paredes. Hoje apeteceu-me rasgar papel, partir pratos, mandar socos em alguma coisa até a raiva sair por completo. Hoje foi daqueles dias em que tudo o que consegui fazer foi arrancado a ferros, foi preciso 30 voltas, muita capacidade respiratória para não deixar tudo para trás. Depois de acabar a formação forcei-me a desanuviar. Forcei-me a ir às compras. Nem assim. Não havia disposição, nem inspiração. Valeu-me o sushi. A noite, para acabar em beleza, ofereceu mais uma constatação que entristece o coração, já de si molestado. Acho que com o fim do ano, está a chegar ao fim a minha paciência para me dedicar a certas pessoas que não sabem valorizar. Estou em crer que quem não sabe o que quer, um dia destes, acaba por se sujeitar à decisão de terceiros. E não vai ser agradável, porque não vai! Como li hoje na crónica de Paulo Farinha, "Esta malta que não f*** nem sai de cima pode ser desesperante. E uma vez que encostá-los à parede para se mexerem - para se aproximarem ou se afastarem de vez - não costuma resultar, o ideal é aplicar uma regra de que uma amiga me dava conta há dias: «Quando eles não se decidem, decidem-se elas». É nessas alturas que elas vão embora. E ainda bem." Com isto quero dizer que o melhor do meu dia depara-se exactamente com as respostas que pedi e que vejo satisfeitas, relativamente a este assunto e não só. Quando enviamos um e-mail a congratular e nos respondem, fazendo-nos sentir especiais e quão válida é a nossa opinião, o resto deixa de ter tanta importância. A vida ensina-nos a focar as nossas energias, por muito que custe deixar algumas coisas para trás. Mas, se não travarmos certos processos, em prol do pouco que ainda pode ser salvo, o nada é a certeza do que restará. E eu estou cansada disso. |Hoje custou muito achar o melhor do meu dia. Mas foi a isso mesmo que me desafiei quando aceitei fazer parte deste movimento.| Que amanhã seja um dia melhor. Boa noite!*

2 comentários:

Inês E. disse...

E hoje foi um dia bom?

From now on, please, call me Tinkerbell* disse...

Foi sim Inês. Muito mais calmo, muito mais pacífico, muito mais normal! :) *