quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

I'M FEELING THIS #38


(...) A verdade é que o ser humano não tem o que precisa porque vibra pela restrição. (...) A vida é uma homenagem à própria vida. Se souberes que nada é teu, que tudo o que a vida te empresta é para ser vivido, aproveitado, «curtido» até à última gota. De bom e de mal. Não querer chegar a lado nenhum, querer apenas estar, ser, se possível, feliz, se não, processar todas as dores para que elas desapareçam depressa e um novo dia surja. Não fugir das dores, não. Chorá-las, fazer o luto de cada dia, de cada coisa, e só depois seguir em frente. Não deixar nada para sentir depois. Não deixar nada para trás. O peito vai ficando limpo. O coração vai ficando calmo. As emoções vão ficando em dia. As lágrimas, depois que saem, dão lugar a um sorriso largo. Deixar de vibrar pela restrição é saber que o dia de hoje é único e nunca mais vai voltar. E o dia de hoje é sempre uma grande oportunidade de viver. E se for bem vivido, o amanhã será ainda melhor.

2 comentários:

rosinha cruz disse...

Como éramos felizes se fossemos capazes de aceitar a vida assim :)
Beijinhos

From now on, please, call me Tinkerbell* disse...

Não custa tentar minha querida :) Um bom dia*