sábado, 22 de dezembro de 2012



E ela conta, com um brilhozinho nos olhos, a forma natural e voluntária como ele a deixou a dormir por mais uns minutos, ajeitando-lhe a manta, dando-lhe um beijo na testa e saiu para comprar o que seria o seu pequeno almoço. Face a isto, a única coisa que posso dizer é que ainda há pessoas boas e ainda há gestos bonitos para admirar. Eu fico sempre enternecida com acontecimentos destes, quando são, de todo, despretensiosos. O cuidado e o carinho para com outro ser humano só tem valor quando surge naturalmente, despregando-se da ideia de necessidade de compromisso para que tal aconteça. Há acções que falam por si, gestos que contam, momentos que vale a pena registar como impulsionadores em dias mais sombrios. Gosto quando a humanidade que habita o ser humano se revela. Gosto mesmo.

2 comentários:

teardrop disse...

A minutos de entrar nos 29 tenho que confessar que aqui em casa o querido faz isso muitas vezes. E nem sempre lhe dou o valor que devia, ainda estou a aprender a valorizar os pequenos gestos...

From now on, please, call me Tinkerbell* disse...

E estás no bom caminho tear. O facto de o reconheceres já te deixa atenta para a valorização! :) Tu consegues... Um Feliz Natal querida*