quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Feliz aquele que ri da sua própria desgraça!*


Adoro quando as pessoas acreditam que conseguem me ridicularizar mais do que aquilo que me ridicularizo a mim. Eu sou um ser a quem as maiores atrocidades, do ponto de vista das situações embaraçosas, acontece. E quando acontece, acabo por colocar a rir meio mundo à conta das mesmas, porque, ao contar, ainda coloco mais drama e cenário do que de facto aconteceu. Mas há sempre aquela alma que gosta de piorar a situação, analisando-a, tentando que eu fique com vergonha do acto. É certo que não consegue. E não consegue porquê? Porque as situações constrangedoras, que me deixam gelada de vergonha da cabeça aos pés, que são verdadeiramente más, eu não conto a ninguém. Portanto, se as partilho, se me colocaram a rir, são somente engraçadas por serem tão estúpidas e impensáveis. Convençam-se disso!

2 comentários:

Inês disse...

Sabermos rir de nós mesmos é muito bom.
Eu não sou bem um cómico de situação, sou mais um cómico de dizer parvoíces. Pelo menos faço rir e também me rio.

From now on, please, call me Tinkerbell* disse...

Então aposto que és uma pessoa com quem dá gosto estar! :) Um beijinho*