quarta-feira, 16 de janeiro de 2013


Aquela sensação de acordar a meio da noite e simplesmente ouvir. Ouvir o silêncio, através do qual rompe o barulho da chuva que cai constante e calma. Olhar para o relógio e perceber que ainda nos faltam duas horas e trinta minutos de sono bom pela frente. Sentir o calor que provém do vale de mantas em que nos encontramos e que sabemos certo. No meio de todos estes pequenos nadas que teimamos em ignorar, não há cinzento da alma que consiga sair vitorioso. Porque a minha escolha, face a privações da vida, é encontrar dádivas pelas quais agradecer diariamente. E se nada mais valer a pena agradecer hoje, já tenho este momento madrugador como detentor de honra do melhor prémio que podemos dar a nós próprios: viver!

3 comentários:

Cátia Lima disse...

Tens razão minha linda... :) VIVE

Inês disse...

Sim, é o maior prémio que temos todos os dias.

From now on, please, call me Tinkerbell* disse...

Cátia estou, seriamente, a tratar disso! :) espero que tu também!*

Inês, e eu adoro ganhar prémios! Tu não? ahahha*

Bom dia de vida às duas*