domingo, 3 de junho de 2012

DAS CONVERSAS SURREAIS |



Não tendo eu intenções de voltar a ter qualquer tipo de conversa com uma pessoa que não foi propriamente correcta comigo e que sempre fez questão de me desvalorizar, fico parva para a vida quando daquela boca, e por iniciativa própria, saem coisas como:

- Ajudas a melhorar as pessoas.
- Sempre foste uma miúda decente. Eu é que não fui.
- Tens dentro de ti um monstro que eu fiz questão de provocar. Tive o que mereci.
- Se há coisa que não me esqueci foi de alguns hábitos teus, tão próprios.

Até que vejo que as pessoas vão mudando com as pancadas que vão levando da vida. Não apaga nada do que aconteceu. Não altera em nada a relação que não se mantém. Fica a paz de um reconhecimento e de um novo pedido de desculpas. É só o que me é permitido fazer. Aceitar e respeitar a atitude que deve ter custado um bocadinho a ter.