sexta-feira, 23 de setembro de 2011


Hoje falo para aquele que me preenche o coração. 
De nada vale as palavras se não corresponderem aos nossos actos, eu sei! De nada vale proclamar um sentimento quando se tem medo de o viver e sentir a queimar dentro de nós. E eu sou culpada disso! Leva-me a julgamento que não usarei qualquer defesa a meu favor. Deixa-me apenas segredar-te isto ao ouvido, naquele impasse em que percorro o corredor que nos separa: de todas as vezes que os meus olhos brotaram medo, de todas as vezes que o meu corpo afastava o teu, de todas as vezes que da minha boca saíam aquelas palavras que abriram feridas profundas no nosso amor, em todas as vezes que os meus comportamentos eram piores que as minhas intenções, em todas elas sentiste o AFASTA-TE quando só queria dizer SALVA-ME!
Desculpa-me os problemas de expressão. Desculpa o quanto magoei o teu coração.


1 comentário:

Lu! disse...

Nem sempre é fácil... Os medos dão cabo de tudo...