domingo, 14 de novembro de 2010

Escolheram mal o dia para se armarem em engraçados...


Se há coisa que eu detesto, acima de tudo, são desculpas esfarrapadas... Não tenho sistema digestivo nem nervoso para aguentar com certas coisas!

Hoje decidi organizar um magusto cá em casa, assim algo íntimo e só para os mais chegados. Mandei mensagem às pessoas em causa e, durante a semana, ou responderam que vinham ou que não vinham. Excepto duas pessoas... excepto duas pessoas que são extremamente importantes!

Até hoje... Hoje perguntaram-me qual era o ponto de situação do evento. Respondi quem vinha e acertei outros pormenores. E a bela da resposta foi, 2 horas depois, "Ah e tal Hysteria, afinal nós não vamos! Desculpa lá!"

Até ver, uma resposta perfeitamente natural certo?! Não, não está nada certo. Estas duas pessoas foram as que não foram ao meu jantar de anos (ele porque estava a trabalhar, ela porque ele não ia), foram as que não foram a um churrasco no Verão porque podia ser muita gente, ter gente que não conheciam e podiam ficar incomodados (e só foram pessoas conhecidas... as suposições são fodidas!) e foram duas pessoas que basicamente me deram força para fazer o evento de hoje! Começa a ser um acumular de situações que já não dá para ser indiferente.

Então mas andamos a brincar?! É certo que todos nós temos outros amigos que não os deste grupo mas isso nunca foi motivo de falta de sinceridade, ou falta de motivos que justificassem uma ausência. Sempre fui a pessoa com quem podiam falar de qualquer incómodo causado por outrém e eu arranjava a melhor maneira das coisas se conciliarem.

Falam-me em distanciamento, dramatizam com a ruptura que existe entre o grupo, choram saudades de tempos passados... e depois são os primeiros a "verem o ambiente" para decidir o que fazer?!

Onde é que reside a importância do esforço conjunto? Onde é que reside a importância que dávamos à simples presença das pessoas em momentos cruciais?!

O que vai acontecer é que me vou começar a fartar de tantos não's infundados, vou começar a achar que o problema é meu e que algo verdadeiramente se passa.

Não me estragaram o dia... mas devolveram-me o mau humor que tinha passado com a sesta! Jizaz*

5 comentários:

Belladonna disse...

Existe sempre alguém assim na nossa vida, são aqueles para quem as coisas nunca estão, ou são, como eles querem. Às vezes conseguem ser uns verdadeiros chatos, também não tenho muita paciência.
Gostei do teu blog, boa continuação;)

Cláudia Neves disse...

O que a Belladonna diz é muito verdade...

Palavra Já Perdida disse...

Identfico-me bastante com as palavras deste post e dos comentários. Não pela situação em si, mas mas pela situação de pessoas, que supostamente são importantes, não estarem lá e de repente desaparecerem e dizerem que são directos e que não somos nada cá, temos é de aproveitar.
Quando são os primeiros a fazer o oposto.
Descansa, vais te cansar disso e aí sim vais ver o quanto são importantes e se realmente valem a pena.
Beijinho e força/calma *

AVOGI disse...

isso é falta de palavra. detesto gente assim. que diz que vai e na hora de chegar liga ou manda sms a dizer que por cobras e lagartos nao pode comparecer.
kis :=(

Hysteria* disse...

Belladona , obrigado pela visitinha e pelas palavras! Sim, em todas as vidas há esses chatos... mas ninguém é mais que o outro e, complexos de superioridade para cima de mim é que não*

Cláudia Neves , bem-vinda ;) *

Palavra , eu lá calma ando... se me deixarem! Apesar de ser impulsiva e algo precipitada, em termos de pessoas importantes sou bastante ponderada. E para me fazerem passar é porque é grave. Whatever*

Avogi eu devo ser uma das poucas pessoas que vive para honrar compromissos, escolhas e carácteres...*