domingo, 23 de janeiro de 2011

O rescaldo de um dia passado na mesa de voto...


Ora o dia amanheceu muito depressa e eu estava com tanta coisa para fazer... na cama! Não me apetecia estar em mais nenhum lugar que não fosse aquela cama... mas abruptamente fui arrancada da mesma. Tomei o pequeno-almoço e viajei rumo às minhas responsabilidades.

Entre preencher editais, tentar não congelar e perceber toda a parte burocrática da coisa, lá começou a aventura.

Nem 5 minutos passavam da abertura das urnas e já peripécias aconteciam naquela secção de voto. Uma senhora, no auge da sua sapiência, achou que o lugar do seu voto era: A MAQUETE DE UMA CASA MORTUÁRIA QUE ESTAVA EM EXPOSIÇÃO NA SALA! Só lhe disseram: Minha senhora... a urna a que esse voto se destina é outra!

Voltando a mencionar o raio do frio... nem aquecedores, nem casacos compridos, nem mesmo o sol me valeram! Por pouco não me tornava um boneco de neve! Eu devia ter reclamado...

A meio da manhã, é tempo de mais uma aventura. O senhor padre velhote do sítio achou por bem levar umas extensões à frente e, não tivesse lá um senhor para o amparar, e tínhamos um acidente de percurso para resolver!

Depois eram cães que queriam votar, um presidente de mesa que dizia coisas como: "Venha de lá a esposa, venha!", um eleitor que perguntou se era preciso pôr nome e um delegado de um partido, no auge dos seus 70 anos, que era o RP lá do sítio. O homem desentupia filas, esclarecia dúvidas, transportava pessoas perdidas. Era um saltitão que me fazia rir.



A coisa que mais me aborreceu no meio disto tudo foi a estonteante abstenção! Eh pah... Falem-me belezas da abstenção! Eu não a entendo... nunca a entendi!

Sempre que me pedem uma opinião, uma decisão, uma escolha, eu não tenho por hábito dizer NIM. Sou responsável por aquela que faço, que pode ser a melhor ou a pior... mas escolhi, comprometi-me com uma opção.

Não existe um candidato digno do poleiro?! Pois não... mas alguém tem que ser! Se não tomamos uma posição, alguém a toma por nós.

E depois vêm para aqui entupir blogosferas, conversas de café e outras que tais, mandando papaias e dando (supostas!) soluções e nem o cu levantaram para ir lá e tentar mudar algo. E não estou a falar das pessoas mais velhas! Essas, por muito que sejam movidas como rebanhos (como ouvi hoje!), vão lá e têm a consciência da importância de tal acto.

Vejo lá pessoas humildes, pobres, com a cultura que a vida lhes pode dar. E os meninos bonitos e formados? Os nossos doutores?! Onde andam eles?! Estou mesmo a falar dos jovens de hoje! 

O ridículo disto é que são os que criam movimentos no Facebook "Eu não vou votar!". Eu não sei quem os educou, não sei a cultura que têm... mas deviam ter só um pouco de atenção e consciência do que os nossos antepassados lutaram para termos direito ao voto, à opinião, à liberdade!

Mesmo que eu não tenha o poder para mudar grande coisa, faço a minha parte, cumpro o meu dever, respeito a luta de outros e sou responsável pela tomada de uma posição! Acho que a falta de responsabilização que permitem aos jovens de hoje os está a arruinar. Já ninguém se compromete.

Não vos disse!? Eu só tenho 23 anos!

E agora vou ali deitar-me que estou cansadérrima!

4 comentários:

Inês disse...

Eu cumpri o meu direito e dever.E fiz uma cena mais ou menos de filme...quando vieram afixar o edital à porta eu perguntei "então??já se pode votar???É que tenho que ir trabalhar!!"
E sim já passavam das 8 horas.

Sea disse...

Foste secretária? xD

Eu as 8h tb já tinha um sinhor prontinho a votar e jÁ lá estava à um bom pedacinho À espera xD

As eleições são uma animação :D

Hysteria* disse...

Oh Inês essa gente ou é inexperiente ou então é um bocadito lenta! 8:00 já tem que estar mais que afixado :P ahahha

Sea, sim fui secretária! Não é que me apetecesse mt mas esteve-se bem até :D prefiro escrutinadora! :P E sim, eu trago sempre histórias para contar de lá :D *

DE MÃOS DADAS disse...

Parabéns pela sua consciência de cidadã portuguesa.
Assim fossem todos os portugueses.
Também fiz o meu dever.
Utilia