quinta-feira, 8 de maio de 2014

FACTO #146



(...) Não é obviamente em câmara ardente que se segura um amor para sempre, mas duvido que seja com renovação de roupagem que nos fazemos vestir de felicidade. Precisamos de saber dar aos outros como se fosse a nós mesmos e interessar-nos por quem amamos como se fosse connosco. Porque só assim nos mantemos interessantes, precisos, parceiros, nossos. Porque essa é a característica patente nas relações que duram: nas relações familiares, quase sempre imortais. (...)

in P3

1 comentário:

rosinha cruz disse...

A felicidade está muitas vezes em darmos o melhor de nos ao outros, eu dou o meu sorriso e a minha serenidade(mesmo que dentro do peito seja um turbilhão de emoções e sentimentos):)
Beijinhos