sexta-feira, 4 de maio de 2012



Hoje tive medo. Tive medo da chuva torrencial que caía sem parar e me dificultava a visibilidade enquanto conduzia. Tive medo dos raios que rasgavam o negrume do céu que avistava. Tive medo dos lençóis de água que provocavam uma tremenda instabilidade no meu carro. Enquanto ignorava a música de fundo que se tornou a única companhia daqueles momentos pedia, encarecidamente, para que a chegada a casa fosse possível e livre de atribulações. Estacionei. Os raios não paravam de rasgar o céu. A chuva não parava de cair. Tive medo de sair do carro... mas a necessidade de conforto falou mais alto. Por entre poças de água, e com tralhas e mais tralhas para carregar, consegui chegar à porta de casa. Nunca um rodar de chave na fechadura, para garantir que a casa ficava trancada, foi tão dotado de alívio. Hoje tive medo de ser uma daquelas pessoas que, simplesmente, não têm o prazer de chegar a casa. Hoje agradeço por ter chegado. Boa Noite*

2 comentários:

just me disse...

Bom-dia!!! Diria o donkey no Shrek I "fear is an intelligent response to the unknown"!!

Compreendo essa boa sensação de chegarmos sãos e salvos ao ninho. =)beijoquinhas

Jess disse...

Ainda bem que chegaste bem! Ainda bem mesmo! Que chegues sempre bem *